quarta-feira, 27 de julho de 2011

Vidas transformadas

Delhi, na Índia

ÍNDIA (32º) - O missionário Murli Ghulam, sustentado pelo ministério Evangelho para a Ásia, foi libertado da prisão, mas é impedido de se ausentar da sua própria aldeia. Mais detalhes sobre o ministério de Murli e os eventos que levaram à sua libertação também estão sendo relatados.

Murli foi preso temporariamente em 2 de julho, no momento em que estava dirigindo uma reunião de oração na casa de um crente e foi acusado de subornar e forçar pessoas a se converterem ao cristianismo. A acusação foi apresentada por extremistas anticristãos de sua aldeia. Murli mora em uma área com leis rígidas, que tornam difícil compartilhar o amor de Jesus com pessoas de religiões tradicionais da região. Esses estatutos, conhecidos como “leis da liberdade de religião”, muitas vezes são utilizados como base para prender pastores cristãos e delinear as medidas a ser tomadas para mudar de fé. Em alguns lugares, onde existem as “leis da liberdade de religião”, os indivíduos são legalmente obrigados a enviar uma papelada para o governo antes de ser autorizados a seguir a Cristo publicamente.

Como resultado do ministério de Murli, dezenas de pessoas aceitaram o amor de Cristo. Quando isso acontece, geralmente se acende a ira dos seguidores das religiões tradicionais, que muitas vezes se queixam à polícia das atividades do missionário. Parece ter sido isto o que aconteceu com Murli.

Após sua libertação, Murli falou a um correspondente da GFA a respeito de várias respostas comoventes às orações que ocorreram como parte de seu ministério, o que pode ter trazido a ira dos extremistas anticristãos sobre ele.

Sheenu Manim costumava perambular por sua aldeia perguntando a todo jovem que ela encontrava: “Quer casar comigo?” Sheenu tinha uma doença mental e ninguém sabia como ajudá-la. Em janeiro de 2010, algumas pessoas da sua aldeia a trouxeram a Murli e pediram a ele para orar por ela. Ele orou para que o poder de cura de Cristo caísse sobre aquela vida de 25 anos de idade – e Deus respondeu à sua oração. Daquele dia em diante, Sheenu ficou com sua cabeça no lugar e começou a proclamar o amor de Cristo em sua aldeia, contando a todos sobre a cura que Ele operara em sua vida. Um grupo de extremistas anticristãos perguntou-lhe quem havia orado por sua cura e ela prontamente contou-lhes sobre Murli e lhes deu o número do telefone dele.

Panjit Lukkise foi alvo da ira vingativa de um feiticeiro. O feiticeiro invocou espíritos malignos para atacar Panjit, com o objetivo de acabar com a sua vida. Parecia estar funcionando: a saúde de Panjit começou a se extinguir. O homem de 40 anos de idade passou de médico em médico em busca de uma cura, gastando todo o dinheiro de sua família. Ele estava inacreditavelmente fraco e mal conseguia manter no estômago qualquer tipo de alimento. Sua saúde continuava piorando. Então sua família ouviu falar de Murli e o carregou até a porta do missionário. Murli clamou a Deus em favor de Panjit, e este homem sofrido experimentou a cura total. Ele voltou à sua aldeia e compartilhou as maravilhas que Cristo havia realizado em sua vida. Por causa do testemunho de Panjit, 80 pessoas escolheram seguir a Jesus naquela aldeia.

Sunil Andamimad tinha uma úlcera dolorosa no estômago. A úlcera perfurou seu estômago e ele foi hospitalizado, com muita dor. Quando os médicos falharam em lhe proporcionar qualquer alívio, Sunil implorou à sua família para tirá-lo do hospital e achar alguém que realmente pudesse ajudá-lo.

“Por favor, me levem ao pastor Murli; ele pode me curar”, suplicou Sunil

Quando Murli ouviu o pedido de Sunil, ele orou e Sunil melhorou um pouco. Então ele pediu aos membros da sua igreja que orassem e jejuassem por sete dias em favor de Sunil. No fim daquela semana, ele foi curado.

Jagon e Mushi Gopal estavam vivendo um pesadelo. Eles viviam em uma área fértil em ídolos e cultos a espíritos. Participando ativamente dessas práticas, ambos se abriram para os perigos e logo foram pessoalmente atacados por um espírito maligno. Este tormento continuou por 10 anos. Murli ouviu falar da condição deles e viajou 38 km até a casa do casal, só para orar por eles. Ao nome de Jesus, o espírito maligno fugiu e suas vidas mudaram drasticamente. Marido e mulher escolheram seguir a Cristo e uma igreja foi iniciada na casa deles. A igreja está crescendo e adicionando vários novos membros a cada semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário