segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Igreja líbia: perseverança em meio à adversidade

Ditador Muammar al-Kaddafi que está no poder há 42 anos

LÍBIA (25) - Há quarenta e dois anos (1969) um grupo de militares nacionalistas da Líbia se levantavam para derrubar a monarquia e estabelecer a republica, entre eles havia um jovem chamado Muammar al-Khadafi que comandaria a revolução a se tornaria chefe de estado no ano seguinte. Com um discurso apoiado no nacionalismo religioso, estes homens conseguiram estabelecer no país um governo que tinha como objetivo devolver a Líbia aos princípios do Islamismo e se livrar de vez do julgo econômico imposto pelo imperialismo do ocidente.

A Líbia é um país composto por diversos clãs de tribos, elas desempenham um papel muito importante na política interna do país. O golpe militar de Khadafi em 1969 derrubou o domínio tradicional das tribos costeiras orientais em Cirenaica em favor daquelas provenientes do oeste e do interior do país. Embora o regime Khadafi foi, pelo menos em teoria, em oposição à identidade tribal e favorável à unidade nacional, sua longevidade dependeu em grande medida, de uma coalizão instável entre as três tribos principais: a al-Qaddadfa, al-Magariha, e al-Warfalla, esta ultima conta com mais de um milhão de pessoas. Portanto, para se manter no poder é fundamental que o governante tenham o apoio maciço dessas tribos, caso contrário é bom que se prepare para as oposições e conflitos. As revoltas iniciadas no país em fevereiro de 2011 tem tido a participação maciça dessas tribos que atuam em oposição à política de Khadafi. Segundo as ultima noticias os rebeldes líbios estão em Trípoli (Capital do país) e prestes a capturar Khadafi.

À margem desses conflitos existe um povo que persevera firme no propósito de glorificar a Deus no país. Esse povo não está dividido por questões étnicas, políticas e sociais, mas procura demonstrar que sua luta não é para manter a tribo A ou B no poder para fazer o nome de Jesus conhecido entre os líbios. Segundo o coordenador da Portas Abertas na Líbia, que pediu para permanecer no anonimato, “todos os dias, ao meio-dia parte da pequena comunidade cristã em Trípoli se reúne para orar pelo país, pelo futuro da igreja e para encorajar uns aos outros”. Ele diz ainda: “a situação da igreja em Trípoli é estável, os cristãos estão em boas condições, apesar dos constantes combates na cidade”.

Sobre o futuro da igreja na Líbia um colaborador da Portas Abertas Internacional diz: “a situação da igreja certamente irá mudar após os conflitos, mas será que os cristãos vão ganhar com essas mudanças? Haverá mais liberdade religiosa sob o novo governo pós Khadafi? Ninguém sabe”!

Caso após a queda do regime de Khadafi não haja uma rápida restituição e reorganização do poder, é possível que as tribos entrem em guerra civil e o país seja dividido, para que isso não aconteça alguns países do ocidente tentam intermediar a transição de poder. Diversas agências de noticias divulgaram esta semana que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou que os países do chamado BRIC (Brasil, Russia, Índia e China) serão convidados para discutir a crise na Líbia. Esses países têm investimentos na Líbia, o Brasil, por exemplo, conta com quatro empresas no país, entre elas a Odebrecht e a Petrobras.

O Brasil pode ter uma participação efetiva no estabelecimento da democracia e estabilidade política na Líbia. A igreja brasileira pode ter uma participação efetiva para que a haja paz no país e para que seus irmãos na fé continuem sendo sal e luz ali. Como? Ore pela Líbia!

Pedidos de oração:

Ore pelo governo da Líbia, para que os líderes sejam conduzidos pelo Senhor quanto a reorganização e reestruturação do poder para a glória de Deus;

Ore pelos cristãos líbios para que sejam fortalecidos em meio a situação do país e possam testemunhar da fé em Cristo;

Ore pela reunião que será feita pelos outros países a respeito da Líbia. Ore para que o Senhor opere segundo a Sua vontade e propósito no país e ele seja modelo de nação cristã.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A Fé



“Conta-se uma história de um pastor europeu que fora convidado a pregar em uma Igreja nos Estados Unidos. Como em seu tempo ainda não existia o avião, a travessia era feita de navio. O tempo de duração da travessia era estimado em uma semana, então, ele se programou para chegar um dia antes ao seu destino e assim poder descansar e se preparar. Durante a viagem, no entanto, seu navio foi surpreendido por um espesso nevoeiro que fez com que a embarcação fosse obrigada a diminuir sua velocidade, atrasando a viagem em dois dias. Então o pastor foi ao comandante e disse que não poderia se atrasar para o seu compromisso. O capitão disse que seria impossível chegar a tempo e que só Deus poderia fazer isso. O pastor colocou a mão no ombro do capitão e disse, se o caso é com Deus, eu o convido a ajoelharmos e orarmos ao Senhor. O capitão riu-se e disse: ‘É impossível!’ Nisso o pastor ajoelhou-se e começou a orar enquanto o capitão observava incrédulo. Por fim, meio que sem jeito o capitão foi ajoelhando-se com o pastor, quando o homem de Deus o impediu dizendo: ‘Não precisa ajoelhar-se capitão. Primeiro porque o senhor não crê que Deus pode mudar a situação e depois, porque o nevoeiro já se dissipou!’”Essa história verídica nos mostra a necessidade que temos de exercitar nossa fé diariamente. No exercício da fé cristã precisamos aprender a crer independente das circunstâncias que nos cercam. Não importa se o nevoeiro ao nosso redor seja denso, o que importa é crermos na ação de Deus. Ainda, de acordo com o profeta Habacuque, a fé deve gerar alegria no coração do crente. Alegrar-se no Senhor é primordial, pois mostra que o crente está completamente confiante na ação do seu Deus e fortalecido por Ele, pois “a alegria do SENHOR é a nossa força” (Neemias 8:10).Por fim, aprendemos que no exercício da fé cristã devemos depender da ação divina. A Palavra nos dá amplas garantias de que Deus protege aos que são seus como, por exemplo, nos mostra o Profeta Isaías ao declarar: “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera.” (Isaías 64:4).

terça-feira, 23 de agosto de 2011

PRESTE ATENÇÃO

Esse "evangelho" que tudo pode...
Renato Vargens

O jornal O dia publicou que a nova Rainha da Bateria da Escola de Samba Unidos do Viradouro, NÃO POSSO CITAR O NOME , 24 anos, é evangélica.FULANA é desde 2005 uma das morenas do grupo É o Tchan, já venceu 28 concursos de beleza e foi dançarina do ‘Domingão do Faustão’. Segundo a reportagem, mesmo sendo evangélica, a moça já colocou silicone nos seios e posou nua. No carnaval de 2009, FULANA vai representar ‘Dendê, meu dengo, óleo de cheiro’. Ela vem simples, OUTRA FULANA , e quero que pegue bastante sol para representar a morenice retratada por OUTRO FULANO , adianta o carnavalesco da agremiação niteroense. A musa conta que não irá desfilar com os seios de fora. “Isso está fora de cogitação”. O namorado pode ficar descansado, pois ela virá com flor no cabelo, minissaia e uma tela de cristais Swarovski sobre os seios à frente da bateria, que vai representar o afoxé Filhos de Gandhi.

Quando li a noticia acima confesso que fiquei profundamente preocupado com os rumos desta geração. Sou obrigado a confessar que tenho andado assustado com o incentivo à promiscuidade e sensualidade em nosso país. Compartilho também a minha aflição com o nível de devocionalidade e compromisso cristão de nossos jovens. Infelizmente, essa geração em nome de uma pseudoliberdade vem ao longo dos anos procurando compor no mesmo projeto de vida, Deus e "mundanismo". E para piorar, em nome de uma espiritualidade barata, a graça de Deus tem sido relativizada em detrimento de uma vida promiscua e irresponsável.

Por favor, repare comigo, você já percebeu de que tudo aquilo que acontece nas nossas comunidades tem sido transformado em gospel? Música gospel, teatro gospel, show gospel, dança gospel, além de tantas outras coisas mais?

Do jeito que a coisa anda daqui a pouco ouviremos o seguinte “testemunho”:

Acordei esta manhã e fiz minha oração gospel, liguei o som e botei um CD gospel enquanto colocava minha vestimenta gospel. Ao sair de casa parei na banca de jornal onde comprei uma revista de games gospel e outra de fofocas gospel, as quais fui lendo enquanto viajava de ônibus até o centro da cidade, onde teria uma "parada" gospel com uns amigos skatistas. Parei de ler quando reparei em uma garota gospel, muito gatinha, de piercing gospel, calça e mini-blusa gospel. Comecei ali mesmo no buzão uma paquera gospel e perguntei à gata gospel se queria ficar comigo. Ela, como "ficante" gospel topou. Convidei-a então para tomarmos um drink gospel em um barzinho gospel super badalado que conheço. Depois fomos a um cinema gospel, onde no escurinho podia então dar uns amassos gospel. Mão gospel boba pra cá, mão gospel boba pra lá, estávamos a mil. Então depois do cine resolvemos ir até um a balada gospel descarregar nossa adrenalina toda em uma danceteria gospel. Show de bola! Demais! Escureceu e não a deixei ir pra casa. A convenci que sendo eu um cara gospel, não iria só "ficar" com ela, mas que logo-logo assumiria um namoro gospel. E com base nessa promessa a convenci a esticarmos nosso programa gospel, levando-a até um motel gospel onde fizemos um amorzinho gospel. A acompanhei depois até em casa, e ela me convidou para entrar. Conheci seus pais, crentes liberais, não muito gospel, mas gente fina! Subimos até o seu quarto, pois ela queria me mostrar seu cantinho gospel. Notei nas paredes pôsteres de seus artistas gospel preferidos e ela mostrou-me sua coleção de CDS de reggae gospel, rap gospel e música eletrônica gospel. Enquanto ela foi até o banheiro, dei uma lida em seu diário gospel e vi que ela registrava todas as suas aventuras gospel com os carinhas gospel que conhecia. Fiquei imaginando que o meu nome e o que eu fizesse, preencheria as próximas páginas daquele caderno gospel.”

Pois é, nossos jovens precisam URGENTEMENTE abrir os olhos. Isto porque, da mesma forma que não dá para misturar óleo e água no mesmo recipiente, não nos é possível, fazer parte de geração abstêmia de Deus e da geração dos comprometidos com o Senhor. Ou somos de Deus, e vivemos uma vida santa e separada por ele, ou não somos dele. Vale a pena dizer que na perspectiva do reino não existe possibilidade do meio termo.

De que geração você faz parte? Da geração descompromissada com Deus, que efusivamente canta as canções gospel em nossos templos, saindo a posteriore para as boates e motéis da vida? Ou de uma geração comprometida com a verdade que ama a Deus acima de todas as coisas? Da geração gospel que não tem limites, que tudo faz, onde tudo é lícito e tudo pode, ou da Santa Geração que entende que a santidade é o modo de Deus proteger a psique humana?

Amados, seguir a Jesus é o melhor e mais fascinante projeto de vida. Fazer parte da Santa geração é tudo de bom. Deixe pra lá os valores deste mundo e desfrute de momentos harmônicos, plenos e saudáveis na presença do Senhor.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Testemunho de cristãos que foram presos

Cristãos são presos em contêineres

ERITREIA (12º) - A perseguição na Eritreia tem se tornado dura para muitos de nossos irmãos. Vejamos como exemplo o caso de John e Paul.

John e Paul são cristãos da Eritreia. John contou que começou a buscar a Deus por influência de sua irmã mais velha, pois os dois eram muito próximos. A irmã de John o levava à escola dominical, onde ele poderia crescer na fé. Juntos, os dois participavam de estudos da bíblia e entraram no coral da igreja.

Nessa mesma época, John foi obrigado a servir o exército. O governo já começava a impor restrições para as igrejas, mas ainda não era tão sério quanto é atualmente. A perseguição começou leve e muitos superiores nos campos militares confiscavam bíblias, músicas e mensagem em fita cassete, com avisos para que houvesse uma paralisação das atividades “ilegais”. Com o passar do tempo, reuniões e evangelismo nos campos foram proibidos. Mas, mesmo assim, os cristãos se reuniam secretamente.

John foi transferido para outro campo militar, onde conheceu Paul. A amizade entre os dois se tornou forte quando eles começaram a compartilhar suas crenças em Jesus e as duras restrições os aproximaram mais ainda de Deus. Eles, então, encontraram um grupo que se reunia perto do campo e começaram a participar dos cultos. No entanto, a polícia descobriu as reuniões e prendeu todos os participantes.

Os dois ficaram presos por quase dois anos e depois foram transferidos para uma prisão diferente: eles foram trancados em um contêiner de metal por um ano. De lá eles foram transferidos para outra prisão. Os dois foram presos sem nenhuma acusação formal e ficaram indo de prisão em prisão, por quase nove anos.

“Nossas famílias não estavam autorizadas a nos ver, Nossos pais não sabiam se nós estávamos vivos e nem onde estávamos. Muitos prisioneiros morreram e foram enterrados sem suas famílias saberem. Todas as prisões são iguais para cristãos: sem acusações, só prisão por longos períodos.”

“Éramos, muitas vezes, pressionados a negar a nossa fé. Mas sempre nos recusávamos. E quando isso ocorria, éramos punidos. Às vezes íamos trabalhar debaixo de sol forte sem ter comido ou bebido nada.”

Após relatar as péssimas condições nas prisões onde ficaram e o duro trabalho que tiveram de fazer todos os dias, eles continuavam falando e sorrindo: “Mas ainda temos Jesus, e isso é o que vale mais.”

sábado, 13 de agosto de 2011

Jejum e uso do véu se tornam obrigatórios para todos durante o Ramadã



INDONÉSIA (48º) - Durante o Ramadã, o uso do véu, para todas as mulheres, e a prática do jejum se tornaram obrigatórios para todos na Indonésia. Quem não praticar o jejum corre até o risco de ser demitido.

Em algumas partes do país, o Ramadã tornou-se um tempo de ‘islamização’, com regras cada vez mais inspiradas e apoiadas na Sharia (lei islâmica). Para as autoridades, jejuar e orar tornou-se obrigatório, forçando assim os muçulmanos a se abster de alimentos e bebidas do amanhecer ao anoitecer.

Na Ilha de Madura (Leste de Java), o chefe do distrito de Pamekasan, Kuisari, emitiu uma nota dizendo que todas as trabalhadoras do sexo feminino deveriam usar o hijab, ou lenço na cabeça. A fim de promover a conformidade com os princípios islâmicos, as vendedoras de rua e as mulheres têm de obedecer a essa obrigação. Para Kuisari, isso vai fortalecer a fé das mulheres muçulmanas do país.

Restaurantes e discotecas também terão de se enquadrar na lei e obedecer às regras. Durante o Ramadã, esses lugares devem ser fechados durante o dia até o anoitecer. Representantes da Frente de Defesa Islâmica (FPI) disseram que os infratores que saírem à noite serão gravemente punidos.

Em Bengkulu, o prefeito Kanesi Ahmad disse que todos os trabalhadores municipais que forem pegos quebrando o jejum serão demitidos. Ele até ofereceu uma recompensa de mil rúpias (118 dólares americanos) a qualquer pessoa que encontrar algum civil quebrando o jejum.

Com uma população estimada em 231 milhões de pessoas, a Indonésia é o maior país muçulmano do mundo. No entanto, é composto por diferentes grupos étnicos e tem importantes minorias religiosas.

Muçulmanos (sunitas, na sua maioria) representam 87% da população. Os protestantes são cerca de 6,1%, enquanto os católicos são 4%. Hindus e budistas representam cerca de 1%.

Para saber mais sobre o Ramadã, acesse o blog da Portas Abertas clicando aqui.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Preocupação pela liberdade religiosa ainda é grande no país


Cristãos indonésios em oração

INDONÉSIA (48º) - As tensões aumentaram contra as comunidades minoritárias religiosas depois de três homens terem sido acusados e sentenciados por participar de um brutal ataque à comunidade muçulmana Ahmadiyya.

Os homens foram sentenciados pelo tribunal a penas de 3 a 6 meses, por terem assassinado três pessoas.

A Christian Solidarity Worldwide (CSW) manifestou preocupação com as contínuas violações da liberdade religiosa na Indonésia, maior nação muçulmana do mundo. A CSW achou que as sentenças foram muito brandas.

As sentenças foram dadas no mesmo dia em que a Comissão Evangélica Mundial de Liberdade Religiosa declarou que a Igreja Yasmin, em Bogor, Java Ocidental, poderia sofrer com a violência em massa, se as contínuas tensões não fossem resolvidas.

A igreja foi forçada a fazer seus cultos dominicais ao ar livre, depois que o prédio foi fechado pelas autoridades, violando uma decisão da Suprema Corte da Indonésia, que permitia à igreja funcionamento normal.

Muitos extremistas muçulmanos se reuniram para intimidar os cristãos e ameaçá-los, enquanto realizavam seus cultos de domingo. O presidente da Irmandade das Igrejas Batistas da Papua, reverendo Socratez Sofyan Yoman, disse que as igrejas na Papua Ocidental estavam sendo ameaçadas por militares indonésios.

O reverendo Socratez classificou tais atos como “crimes humanitários”, dizendo que Puncak Jaya virou “o lugar mais cruel e desumano do mundo”. Em um relatório de urgência emitido esta semana, ele pediu o apoio das igrejas em todo o mundo e chamou a atenção da comunidade internacional para exercer pressão sobre o governo da Indonésia, levando-o a dar um fim à violência.

O diretor jurídico da CSW, Andrew Johnston, disse que o pluralismo tradicional da Indonésia está corroendo a tolerância e a liberdade religiosa do país. Ele disse que o governo da Indonésia deve defender o direito dos cristãos e das minorias religiosas, lembrando-se dos direitos humanos que eles possuem

Extremistas muçulmanos incendeiam igrejas

ZANZIBAR (36º) - Extremistas muçulmanos incendiaram uma igreja em Zanzibar, ilha na costa da Tanzânia, no sábado, 30 de julho, três dias após a instalação de uma congregação, disseram os líderes da igreja. O templo foi reduzido a cinzas.

Em Fuoni, na costa sul de Zanzibar, extremistas islâmicos incendiaram o prédio da igreja Assembleia de Deus da Tanzânia (EAGT), que queimou por quase duas horas, disse o pastor Leonard Massasa, supervisor das Assembleias de Deus em Zanzibar. Os agressores gritavam: “Fora com esta igreja, nós não queremos infiéis para estragar nossa comunidade e nossos filhos”, relatou o pastor Massasa.

“Amanhã é domingo: meus membros, que são quase 40 pessoas, não terão um lugar para cultuar a Deus”, disse o pastor Paulo Magungu, da igreja EAGT de Fuoni. Demonstrando medo em sua voz, o pastor ainda acrescentou: “Relatamos o caso à delegacia de polícia. Espero que a justiça seja feita.”

Em Kianga, a cerca de 10 km de Zanzibar, outro prédio de uma igreja foi incendiado na quarta-feira, 27 de julho, queimando por duas horas, disse o pastor George Frank da Igreja Evangélica Pentecostal Livre na África. O incêndio ainda destruiu 45 cadeiras do templo.

“Eu tenho 36 membros e vai ser muito difícil eles se reunirem amanhã”, disse o pastor no sábado, 30 de julho. “Os membros estão com medo, pois não sabem o que os muçulmanos estão planejando fazer. Pedimos a Deus para nos ajudar a enfrentar este momento.”

Na ilha de Pemba, vizinha a Zanzibar, existe a suspeita de que extremistas muçulmanos tenham destruído um templo da igreja Adventista do Sétimo Dia, dia 17 de junho, segundo uma testemunha. “Foi por volta de 1 da manhã que vi a igreja pegar fogo”, disse um vizinho, que pediu anonimato. “Há algum tempo, houve problemas e os muçulmanos não deixavam que a igreja construísse seu prédio.”

Cristãos continuam sendo presos na Eritreia


Container - lugar de prisão dos cristãos

ERITREIA (12º) - Autoridades prenderam recentemente 90 cristãos na Eritreia, como parte de uma campanha contra eles, desde o começo de dezembro do ano passado. Ainda que seis tenham sido libertados, as informações sobre o paradeiro e o estado dos outros 84 são desconhecidas.

Em junho, a polícia prendeu 26 estudantes universitários da Faculdade de Tecnologia Mai-Mefhi, supostamente porque não participaram das comemorações do Dia da Independência da Eritreia.

No mês anterior, 64 cristãos que moravam em uma vila perto da capital foram presos e detidos na delegacia de Asmara. Algumas fontes acreditam que eles permanecem em custódia ou foram levados para a prisão de Mitire, no nordeste da Eritreia.

Mitire é uma prisão militar distante, famosa por suas duras condições para os prisioneiros, que recebem muito pouca comida e são forçados a construir edifícios. Como não há instalações médicas, os presos contraem inúmeras doenças, ficam debilitados e só param de trabalhar quando são transferidos para outras prisões.

Mais de uma década atrás, a Eritreia declarou que todos os grupos cristãos que não pertencessem às igrejas oficiais do governo não podiam funcionar de maneira nenhuma.

Até o momento, o governo aprisionou milhares de cristãos. Muitos deles ainda permanecem sob custódia, sem nunca terem ido a julgamento para definir sua situação. Estima-se que 16 pessoas morreram este ano nas prisões, devido a doença, tortura e desnutrição.

Perseguição se intensifica ainda mais por parte do governo


Um policial, Laos

LAOS (10º) - Autoridades no norte do Laos ordenaram aos cristãos que deixem de se encontrar secretamente em suas próprias casas, onde realizam cultos e reuniões. Já ocorreram as prisões de um pastor e de vários paroquianos, mas tudo está sendo monitorado por uma agência de direitos humanos norte-americana.

O pastor Seng Aroun, da igreja Kon, em Luang Namtha, e outros três cristãos da aldeia de Sounya tinham se encontrado na casa de um homem chamado Kofa para realizar um culto no domingo. As autoridades prenderam os quatros e os detiveram em uma prisão local. Todos, menos o pastor, foram liberados três dias depois.

O cristianismo é uma religião minoritária no Laos, totalizando cerca de 150 mil pessoas, principalmente protestantes e católicos. Em Sounya, os cristãos têm enfrentado uma crescente oposição por parte das autoridades, desde a conversão de 400 pessoas em 2002.

Outro caso foi na província de Udomsai, onde Bounchan Kanthavong está para ser libertado da prisão, após cumprir a pena de 12 anos, sentenciada em 1999, por ter-se convertido e pregado o evangelho abertamente.

Kanthavong disse à sua esposa, Sengkham, durante uma visita dela à prisão, que os funcionários lhe disseram que o soltariam, se ele renunciasse à fé cristã e se afastasse do que acreditava.

Sengkham se tornou uma figura de liderança na igreja local protestante. Kanthavong também alertou, antes de sua prisão, que os funcionários do governo estavam prestes a prendê-lo por causa de suas atividades religiosas. Ele foi, então, acusado de traição e sedição.

Agências de direitos humanos estão pedindo ao governo que reconsidere a sentença de Kanthavong e o liberte imediatamente por razões de liberdade religiosa, que tem garantia nas leis do Laos e, portanto, as atividades de Kanthavong não deveriam ser entendidas como traição ou sedição.

Crianças afetadas pela violência continuam a ser negligenciadas

ÍNDIA - As crianças continuam a ser negligenciadas e impedidas de estudar, ainda três anos após os ataques que ocorreram em Kandhamal. De acordo com um ativista dos direitos das crianças, Mahendra Parida, milhares de crianças ainda estão desanimadas e não recebem nenhum apoio do governo.

Depois da violência ocorrida em 2008, diz Parida, as crianças foram obrigadas a abandonar as escolas e a ingressar em massa no mercado de trabalho. Parida apresentou suas descobertas em uma audiência pública, em âmbito estadual, pela Comissão Nacional de Proteção dos Direitos da Criança (NCPCR).

Os horríveis incidentes de violência ocorridos em Kandhamal tiveram um impacto muito negativo na vida das crianças e muitas delas ainda carregam traumas pelo ocorrido, disse Parida .

O distrito de Kandhamal foi o epicentro da violência anticristã, entre agosto e outubro de 2008, quando centenas de igrejas foram queimadas e milhares de pessoas foram forçadas a fugir de suas residências e de suas comunidades, que sofreram com as multidões violentas.

Enquanto milhares de crianças foram obrigadas a sair das escolas, muitos outros fugiram para lugares distantes em busca de alternativas para sobreviver. Além disso, a falta de acesso adequado à alimentação e nutrição provocou uma grave deterioração na saúde dessas crianças.

De toda a população afetada pela violência, quase 36% tinham menos de 18 anos de idade. Parida apresentou suas descobertas na quarta-feira, depois de interrogarem mil diferentes famílias atacadas, que moravam em Kandhamal.

Dr. Shantha Sinha, presidente da NCPCR, alegou que o governo do Estado não tomou as medidas e recomendações necessárias e eficazes para que a vida dessas crianças tivesse melhorias.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Uma bela reflexão sobre MISSÕES!

Uma certa vez, em uma aldeia, havia um rio que ninguém ousava tomar banho nele, pois era muito fundo e a correnteza era forte. Um certo dia um garoto aproximou-se do rio e resolveu entrar. Em poucos instantes o garoto estava gritando por socorro, pois começou a afogar-se. Toda a aldeia veio para ver o que estava acontecendo, mas ninguém ousou entrar. De repente veio uma mulher gritando e chorando pois era o seu filho que estava na água... Um homem vendo o desespero daquela mãe, resolveu entrar para resgatar o garoto, mas impôs uma condição, ele amarraria uma corda em sua cintura e as pessoas que estavam às margens teriam que segurar a outra ponta e puxarem-na assim que ele alcançasse o garoto. E, eles aceitaram a proposta.

Chegando no meio do rio o homem conseguiu agarrar o garoto e gritou para que as pessoas os resgatassem puxando a corda, mas a multidão que estava à margem discutia de quem era a obrigação de segurar a corda. Outros discutiam sobre quem pagaria a corda caso ela fosse arrastada junto com aquele homem. Com isso esqueceram-se de segurar a corda, e os dois foram vencidos pela correnteza... e afogaram-se. Quando deram fé, era tarde demais.

Este rio representa o mundo, o garoto, as pessoas perdidas sem Jesus, o homem que foi resgatar representa o missionário, e as pessoas que estavam à margem do rio a igreja. Eu não sei onde você se encaixa nesta história, mas reflita nela, pense sobre o que você tem feito por qem está lá, na outra ponta da corda!

“Missões se faz com os pés dos que vão, com os joelhos dos que oram e com as mãos dos que contribuem”. Não com a filosofia dos que discutem.
*
*
Um grande abraço!!!